Saudades de mim


Publicado em Segunda, 07 Abril 2014 13:57 | Escrito por Thaís Lúcia


Ah, que saudades de mim!
Do tempo que eu corria na grama.
Daquele tempo que ainda criança.
Caminhava ao som do clarim.


Ah, que saudades de mim!
Do picolé escorrendo gostoso.
Desenhando boca, nariz e pescoço.
Num tempo sem começo, nem fim.
Ah, que saudades de mim!
De sem pressa olhar as estrelas.
Deitada na grama, contemplar a beleza.
Em brisa suave, cheirando capim.
Ah, que saudades de mim!
De saltar no colchão, de aventura.
De chorar, gargalhar, sem frescura.
Fungando o nariz em doce jasmim.
Ah, que saudades de mim!
De dar cambalhotas, cair, levantar.
De estrelinhas e cócegas, correr e brincar.
Deitada na rede de belo jardim.
Ah, que saudades de mim!
Saudades de lá, do que já passou.
De tudo de ontem, um pouco restou.
Em meus olhos, criança, só querubim.
Na saudade de mim, eu transformo.
De tempos em tempos, eu me renovo.
Do ontem trago comigo hoje, o presente.
O passado, nas letras, leal confidente.
Thaís Lúcia Machado da Silva

Navegação Estrutural

Índice

- Home
- Academia
-----Sobre - Objetivos - Estatuto
-----Diretorias - Patronos
- Membros
-----Titulares - Correspondentes
- Artigos
- Obras
- Links
- Biblioteca
-----Doutrinários - Outros
- Mídias
-----Álbuns - Vídeos
- Contato