emidio-brasileiro Últimas Postagens

Jesus reabilita a Pedro

Depois que eles comeram, Jesus disse a Simão Pedro: “Simão, filho de João, tu me amas mais do que estes?” Respondeu-lhe ele: “Sim, Senhor, tu sabes que te amo” Jesus lhe disse: “Apascenta os meus cordeiros” Perguntou-lhe segunda vez: “Simão, filho de João, tu me amas?” Disse ele: “Sim, Senhor, tu sabes que te amo” Perguntou-lhe terceira vez: “Simão, filho de João, tu me amas?” Entristeceu-se Pedro porque pela terceira vez lhe pergunta “Tu me amas?” e respondeu-lhe: “Senhor, tu sabes tudo; tu sabes que te amo” Disse-lhe Jesus: “Apascenta as minhas ovelhas (Evangelho de João, cap.21, vu 15a 17).

Os discípulos de Jesus ainda estavam enlevados devido à grande pescaria que realizaram sob as bênçãos do divino Messias.

Depois de comerem os pāes e os peixes preparados por Jesus, teve início as primeiras recomendações do Rabi dirigidas especialmente a Pedro.

Ao orientar o Grande Pescador, Jesus estava a reabilitá-lo porquanto Pedro ainda se encontrava abatido moralmente depois de negar o seu amado Mestre.

Solenemente, o divino Rabi indagou a Pedro por três vezes: “Simão, filho de João (ou Jonas), tu me amas?”Em resposta, Pedro assegurou que amava o seu Mestre e afirmou que Jesus sabia dessa verdade.

Logo depois da primeira e da terceira respostas de Pedro, Jesus recomendou: “Apascenta as minhas ovelhas”.

Com esse diálogo inesquecível, o divino Rabi renovou o ânimo de Pedro, realçou e reafirmou a sua confiança naquele que seria a Pedra, sobre a qual edificaria a sua Igreja. (Mateus, 16:18)

Mais tarde, Pedro lideraria seus companheiros de apostolado na senda do trabalho redentor da Boa Nova. Ele seria a voz da conciliação e do bom senso diante dos percalços na condução do deveres da evangelização e do socorro aos desvalidos e enfermos do caminho.

Ao longo de sua vida, Simão Pedro atendeu fielmente ao pedido especial de Jesus. Ele pacificou seus companheiros e amigos em momentos extremos da existência, quando deu testemunhos de prudência e de compreensão. Sob a égide do Grande Pescador, milhares de enfermos encontraram refúgio, paz e conforto para suas aflições.

Ao conversar com Pedro, o Mestre mais uma vez confirmou que os seus discípulos seriam reconhecidos por muito se amarem (João, 13:35). O sentido de apascentar suas ovelhas é de estabelecer a concórdia, a humildade e a união para a plenitude do amor fraternal.

Atendamos, pois, amais sublime recomendação de Jesus depois de ressurgir do sangue do madeiro infamante. Pacifiquemos o nosso próximo dia após dia. Pacifiquemos a nós mesmos com demonstrações sinceras de humildade e de amor para respondermos afirmativamente às indagações do sublime Rabi quando disser: “Tu me amas?”

Devemos profundo amor ao divino Mestre de Nazaré. Amar a Jesus é mais do que seguir seus passos e ensinamentos, é estabelecer eterno vínculo de fidelidade ao ser que mais nos amou depois de Deus. Respondamos a ele assim como fez o Grande Pescador:

Senhor, tu sabes tudo; tu sabes que te amo.

(Emídio Brasileiro é escritor, membro da Academia Espírita de Letras, da Academia de Letras de Goiânia e da Academia Aparecidense de Letras e leitor do Jornal Diário da Manhã.)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *